Fórum audiopt.net
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Realizadores asiásticos - Zhang Zimou

Ir para baixo

Realizadores asiásticos - Zhang Zimou Empty Realizadores asiásticos - Zhang Zimou

Mensagem  Convidad 25/6/2007, 06:34

ZHANG YIMOU
Zhang Yimou é hoje um cineasta consagrado e respeitado, não só na Ásia mas ao nível mundial, e um dos grandes nomes da chamada Quinta Geração; dos cineastas chineses.
Nasceu em Xi'na, uma pequena cidade da província de Shaanxi, na China, decorria o ano de 1950.
Zhang Yimou começou a trabalhar nos filmes dos seus colegas em missões tão díspares como operador de câmara a director de fotografia, e actor em The Old Well;, que lhe valeu o prémio de Melhor Actor no Festival de Cinema de Tóquio.

Red Sorghum;. Completou-o em 1987, e o início de carreira (já com 37 anos de idade) não podia ter sido mais auspicioso. Aclamado pela crítica nacional e internacional, “Red Sorghum” acabou por vencer o Leão de Ouro do prestigiado Festival de Cinema de Berlim, e ser a plataforma de lançamento para uma jovem e talentosa actriz chamada Gong Li, que viria a ser companheira profissional e pessoal de Zhang Yimou entre 1987 e 1995.

Codename Cougar 1989, contando igualmente com Gong Li. A história era centrada numa força especial de salvamentos. Nesse ano, participa como actor em A Terracotta Warrior;, o seu último trabalho como actor até agora.

1990 Amor e sedução Ju Dou;, o drama de uma jovem casada com um déspota, e que se envolve com o sobrinho deste. Devido a problemas com as autoridades chinesas, o filme foi feito com fundos japoneses. Mais uma vez, a sua musa Gong Li liderou o elenco que valeu a Yimou a vitória no Festival de Cinema de Chicago, e a primeira nomeação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e à Palma de Ouro em Cannes.

Ju Dou; trouxe um episódio curioso. Foi submetido à consideração da Academia de Hollywood pelas autoridades chinesas, que tentaram posteriormente - sem sucesso - retirá-lo da corrida. A razão evocada foi ser um filme demasiado explícito sexualmente para representar a audiência chinesa. Curiosamente, o representante chinês aos Oscars desse ano, não estreou comercialmente no país, e Zhang Yimou não foi autorizado a assistir à entrega dos Oscars.

Raise the Red Lantern&; em 1991, história de um mestre e das suas quatro esposas, na década de 20. O filme foi mais uma vez banido na China e mais uma vez protagonizado por Gong Li. Venceu o Festival de Veneza e o BAFTA para Melhor Filme estrangeiro. Entre outros reconhecimentos, recebeu a segunda nomeação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, desta vez em representação de Hong Kong.

Em 1992, mudou radicalmente o estilo de história e até de filmagem ao lançar The Story of Qiu ;, um filme contemporâneo que contava a história de uma camponesa grávida que procura justiça após o espancamento do marido. Um olhar documental e a espaços cómico, e que Yimou pensou que seria igualmente banido. Contrariamente, o filme foi reconhecido com prémios em solo chinês. Foram levantadas as proibições aos dois filmes anteriores e o realizador finalmente aclamado na China. Entre vários reconhecimentos o filme recebeu o Leão de Ouro para Melhor Filme em Veneza, e Gong Li considerada a Melhor Actriz no Festival.

Seguiu-se To Live&;, em 1994, a história de um jogador que acaba por perder tudo. Foi nomeado ao Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro representando a China, venceu o BAFTA na mesma categoria e conquistou Cannes, onde venceu o Prémio Especial do Júri, o prémio do Júri Ecuménico e o Prémio para Melhor Actor entregue a You Ge.

Em 1995, Gong Li e Zhang Yimou anunciaram a separação;Shanghai Triad; foi o último projecto comum, que terminou uma ligação de quase uma década. Para além da perda da sua musa, as coisas começaram novamente a ficar complicadas entre Yimou e as autoridades chinesas. O filme foi retirado à pressa do Festival de Cinema de Nova Iorque, por causa de um documentário sobre os acontecimentos do massacre da Praça Tianamen. De qualquer forma, foi aclamado pelo público mas menos bem sucedido que os seus antecessores em termos de premiações. No entanto, Yue Lu foi nomeado ao Oscar de Melhor Cinematografia, e o filme venceu igualmente o Grande Prémio Técnico em Cannes. Foi mais uma vez nomeado ao Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro.
Realizou um dos segmentos de Lumière and Company,
seguindo-se uma comédia em 1997, de nome Keep Cool&; com acção a decorrer na China contemporânea.

1999 cria um intenso drama de nome Not one Less, - Nenhum a menos que contava a história de uma menina de 13 anos, promovida a professora de uma pequena vila durante um mês, e que se compromete a não perder nenhum aluno. Mas quando um deles foge para a cidade em busca de trabalho, ela parte em busca do aluno perdido. O filme foi mais uma vez multi-premiado arrecadando quatro prémios em Veneza, o Leão de Ouro para Melhor Filme, e os prémios Lanterna Mágica, Sergio Trasatti e UNICEF.

Ainda em 1999 surge o intenso drama The Road Home;, a história de um homem que regressa à terra natal para o funeral do pai, e que recorda em jeito de flashback a história de como os seus pais se conheceram. Mais uma vez, Yimou viu-se reconhecido internacionalmente. Entre variadíssimos prémios contam-se por exemplo, o Grande Prémio do Júri em Berlim, e o Prémio do Público no Festival de Sundance. Confirmando-se igualmente aqui, o olho perito de Yimou para lançar novos talentos, sendo este o primeiro filme, da agora muito conceituada Zhang Ziyi.

Talvez cansado de dramas, regressa em 2001 com ;Happy Times;, uma comédia sobre um solteirão que finalmente se apaixona, convencendo a amada de que é muito rico. Sem meios para casar, resolve em conjunto com um amigo criar num velho autocarro uma espécie de motel alugado à hora e ao qual chamam Happy Times;, mas nada irá correr como planeado. Como curiosidade há a acrescentar ainda que este filme chinês teve a produção executiva de Terence Malick.

No entanto, foi a partir da obra lançada em 2002, que Zhang Yimou se tornou um reconhecido realizador ao nível mundial. Com a mais cara produção chinesa até à data, Zhang Yimou rodeou-se das maiores estrelas do país, como Jet Li, Tony Leung Chiu Wai, Maggie Cheung, Zhang Ziyi e realizou ;Hero.
A aposta revelou-se vencedora. O filme bateu todos os recordes até à data na China, e tornou-se um sucesso a nível mundial. Nos Estados Unidos, onde só estreou em 2004, o filme conseguiu a proeza de chegar ao primeiro lugar da box-office. Na retina ficou sobretudo toda a fotografia do filme, a cargo de Christopher Doyle , habitual director de fotografia dos projectos de Wong Kar-Wai. Multi-premiado, destacam-se as nomeações ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro, e o tardio, mas justo, prémio de Melhor Realizador atribuído pela National Board of Review Americana, em Dezembro de 2004.

House of The Flying Daggers

Lançado em 2004. mais um impressionante filme situado no declínio da Dinastia Tang, e que promete não desiludir os fãs do género.
Mas como qualquer realizador asiático que se preze, Zhang Yimou não pára de trabalhar. Em filmagens está já o seu mais recente projecto chamado;Qian li zou dan ;. Para já sabe-se que será um drama, em jeito de viagem pela China. No filme Yimou dirigirá o lendário actor japonês Ken Takakura.

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Realizadores asiásticos - Zhang Zimou Empty Re: Realizadores asiásticos - Zhang Zimou

Mensagem  Convidad 27/9/2008, 18:40

E já vi a sua nova perola a Maldição da Flor Dourada.

A não perder também. Depois faço review.

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos