Fórum audiopt.net
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Qual a explicação?

3 participantes

Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Qual a explicação?

Mensagem  Convidad 27/10/2007, 15:15

Entendo perfeitamente a necessidade de focagem e rigorosa regulação, em especial dos tweeters e médios, na direcção do ponto de audição.
Daí toda aquela complexidade de hastes roscadas e respectivos reguladores de cada um dos componentes das Wilson Alexandria.
Mas depois fico todo baralhado quando, falando do mesmo fabricante, umas Watt Puppy têm as unidades de médios e agudos colocados num plano inclinado que "disparam" o respectivo som para cima.
Alguém sabe explicar esta "aparente" incongruência?
Esta situação verifica-se com outros fabricantes.
Será que os altifalantes têm um espectro mais directo nuns caso que noutros e daí as maiores ou menores necessidades de regulação?

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  Convidad 27/10/2007, 16:11

Não sei responder à tua pergunta, mas eu tenho umas Mirage que têm a unidade dos médios na parte traseira.
Uns jogam com o som directo e outros com o som refletido.
Deve haver fabricantes que usam uma mistura destas duas filosofias.
Penso eu... scratch

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  bluemonday 27/10/2007, 18:27

como estas ?

Qual a explicação? Forum410
bluemonday
bluemonday
Equipa Audiopt - Colaborador
Equipa Audiopt - Colaborador

Número de Mensagens : 2351
Localização : Coimbra
Interesses : audio , vjing
Data de inscrição : 28/05/2007
Pontos/Reputação : 571

Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  Convidad 27/10/2007, 18:51

Aí está outro exemplo!
E então explicações ...
Tens um poster espectacular ...


Última edição por em 27/10/2007, 18:52, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  Convidad 27/10/2007, 18:52

Ora aqui está outro exemplo bem conseguido. Engenharias... Very Happy

Qual a explicação? F891_12Qual a explicação? 22af_12


Última edição por em 27/10/2007, 23:56, editado 1 vez(es)

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  kraal 27/10/2007, 21:42

A propagação das ondas nas HF, MF e LF é diferente e para se consefuir a focagem, há quem use a electronica dos xovers e há quem use a geometria.
A SF usa muito a colocação dos drives em planos inclinados..

kraal
utilizador iniciado
utilizador iniciado

Número de Mensagens : 56
Idade : 47
Localização : Castelo Branco
Data de inscrição : 31/05/2007
Pontos/Reputação : 0

Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  bluemonday 28/10/2007, 19:11

pedromdf escreveu:Aí está outro exemplo!
E então explicações ...
Tens um poster espectacular ...

Não é um poster mas um quadro de um pintor brasileiro e devido à falta de "parede" para o colocar ali esta à "espera" de dias melhores.

Quanto as colunas e alguma explicação têm aqui reviews :

The most intriguing aspect of the design, however, is the acoustic
design. It is Richard Shahinian's belief that a loudspeaker should radiate sound
into a room in much the same way that acoustic instruments do which means that
the speaker should approach being omnidirectional. The Arc throws the sound
upwards and forwards, and is bounced off the hard, reflecting areas of the
listening room giving a sense of air and space not usually available from
traditional forward radiating loudspeakers. There is a degree of forward bias in
the Arc's output though.



Shahinian: quando as colunas ensinam a ouvir
música



Foi numa conversa de fim de tarde que descobri
a verdadeira personalidade de Dick Shahinian,
americano de Nova York. O virtuosismo do
seu discurso, exclusivo de indivíduos intelectualmente
superiores, bem como os seus conhecimentos
verdadeiramente enciclopédicos fluindo a
uma velocidade vertiginosa, permitiram-me
apreciar o porquê da profunda originalidade
das suas colunas de som. Aqui transcrevo
alguns dos seus comentários mais pertinentes,
na vã tentativa de atingir a erudição do
seu discurso...





" Assisti pela primeira vez a um concerto
há cinquenta anos, no Carnegie Hall. Tinha
então catorze anos e apercebi-me quão longínqua
era a gama dinâmica dos meus discos face
à música ao vivo. Foi esta frustração que
me iniciou no mundo do audio: a convicção
de que algo poderia ser feito. A partir desse
momento, sempre me aborreci com as convenções.
Penso ser mais interessante observar e estudar
o passado ignorado que avançar cegamente,
sem a mínima noção do caminho a seguir.

" Noventa por cento das colunas de som
copiam-se entre si, parecendo-se e tocando
de maneira semelhante. Pessoalmente, decidi
enveredar por outros caminhos à imagem de
Otto Enckel, A. Stewart Hegeman, Murray Crosby
e Buckminster Fuller. O meu objectivo não
é desafiar a comunidade audio mas fazer notar
que todo o som do universo é radial e não
direccional.

"O meu ponto de vista não é verdadeiramente
inovador, já que se baseia nos artigos de
Harry F. Olson de 1939, seguidor da obra
"Elements of Acoustic Engineering"
de Van Nostrand, segundo a qual as piores
formas para uma coluna de som são o cubo
e o paralelepípedo, com o(s) altifalante(s)
no centro de uma das faces ! As formas ideais,
segundo Olson, são a esfera e a pirâmide
com uma base rectangular, caso da coluna
Shahinian Obelisk - pura coincidência, já
que só tive conhecimento do livro após a
ter desenhado.

Ninguém parece considerar a forma radial
das ondas sonoras. Por que razão se constróem
caixas com altifalantes apontados para o
ouvinte quando o som se dispersa em todas
as direcções ? Se ouvir um indivíduo situado
no meio de uma sala a falar e este executar
uma rotação de 360º, a proveniência do som
modificar-se-á gradualmente (teremos por
isso a percepção do movimento executado)
até voltar à posição inicial. Se reproduzir
a mesma voz com uma coluna de som convencional
e executar a mesma rotação, o carácter da
voz modificar-se-á notoriamente a partir
dos 10º devido aos efeitos de difracção axial.
Com as nossas colunas de som, o efeito será
mais próximo da realidade. Este exemplo poderá
parecer primário, mas demonstra a imperiosa
necessidade da coluna de som se comportar
como uma fonte pontual com uma actividade
polidireccional.

"Colunas de som com estas características
fornecem um efeito tridimensional natural,
em vez da sensação artificial de se ouvirem
duas fontes sonoras. Dez anos atrás, o então
director técnico da "Stereo Review"
Larry Klein, afirmou que não gostava da ideia
de estereofonia pois não conhecia música
proveniente de duas fontes ! O espírito do
meu trabalho é precisamente voltar ao símbolo
profissional outrora utilizado para a estereofonia
- um par de círculos cruzados. Eu não me
refiro a canal esquerdo ou direito, o que
existe é uma esquerda que se prolonga até
à direita, bem como uma frente que se afasta
até ao fundo. Nunca vi um maestro dirigir
uma orquestra sem músicos no centro e no
entanto a maioria das colunas de som soa
desta maneira.

Esta obsessão pela imagem virtual no centro
das colunas que suscita tantas paixões, pode
ser conseguida com as piores colunas do mundo,
ligando-as simplesmente em monofonia. Porquê
tanta excitação ? Sentarmo-nos a ouvir dois
canais é algo de realizável há muitos anos,
uma página da história que deveria ter sido
virada há muito tempo..."

"Procedi a uma série de experiências
psicoacústicas durante 11 fins-de-semana,
utilizando para tal efeito dois pares idênticos
de colunas Obelisk, um dos quais estava tapado
com uma cortina acusticamente transparente.
Todos os ouvintes preferiram sem hesitação
o par escondido que pensavam ser de maiores
dimensões. Tal facto demonstra que o caminho
a percorrer em relação à audição da música
através de colunas de som é longo..."




In "AUDIOPHILE", Junho de 1994
bluemonday
bluemonday
Equipa Audiopt - Colaborador
Equipa Audiopt - Colaborador

Número de Mensagens : 2351
Localização : Coimbra
Interesses : audio , vjing
Data de inscrição : 28/05/2007
Pontos/Reputação : 571

Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  Convidad 28/10/2007, 21:59

Desculpa lá a despromoção do teu quadro cuja estéctica me agrada bastante.
Claro que já li bastante sobre este assunto daí as minhas questões. Quanto mais leio mais questões se me colocam, daí ter compartilhado este tema.
Gostei das considerações de Dick Shahinian, que julgo idênticas a outros tantos fabricantes que perseguem esta filosofia da aproximação ao maior realismo e maior naturalidade, tanto na captação como na reprodução dos sons.
O que é espantoso é que esta busca conduz a soluções tão diferentes quanto umas electrostáticas da Quad, a outras super direccionadas com as Alexandria, a outras omnidireccionais como as referidas pelo Manel, às Shahinian, com o seu plano inclinado superior, etc.
E em cada uma destas variadas formas existem exemplos da melhor qualidade sonora.

Convidad
Convidado


Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  MikeF 29/10/2007, 00:30

kraal escreveu:A propagação das ondas nas HF, MF e LF é diferente e para se consefuir a focagem, há quem use a electronica dos xovers e há quem use a geometria.
A SF usa muito a colocação dos drives em planos inclinados..

Toda a série XN da Xavian tem os drives montados em planos inclinados para estarem alinhados em termos de centro acustico e haver melhor coerencia de fase. Além disso também tentam sempre a maior proximidade possível entre o tweeter e o woofer...
MikeF
MikeF
Profissional
Profissional

Número de Mensagens : 236
Data de inscrição : 28/05/2007
Pontos/Reputação : 314

http://www.ZenAudio.pt

Ir para o topo Ir para baixo

Qual a explicação? Empty Re: Qual a explicação?

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Ir para o topo Ir para baixo

Ir para o topo


 
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos